Avançar para o conteúdo principal

Apenas eu

Acho que nasci rebelde, dizem que nasci rebelde e eu acredito.
Acredito porque gosto de pensar e decidir por mim, nasci com uma cabeça que até tem um cérebro lá dentro que deve servir para alguma coisa.
Ideias ou hábitos pré-concebidos não me convencem só porque sim. Tudo tem de ter uma razão.
Nunca vou por um caminho só porque alguém me leva. Vou por um caminho que escolho e quando o faço em boa companhia é excelente.
Acato as obrigações, as ordens, as leis, mas não êxito em as contestar se assim o entender.
Não sou de me lamentar. Os lamentos não apagam os contratempos.
Sigo o meu caminho, salto os meus obstáculos, contorno as minhas dificuldades.
Vivo a minha vida da única maneira que sei, com verdade, um sorriso e um coração.
Tudo que faz parte dela faz parte do meu percurso. Percurso que tenho seguido em boa companhia.
Na companhia de uma família fantástica e de amigos sinceros. Se não forem sinceros não são amigos, são pessoas que nos ensinam muita coisa.
Sou grata por todos eles.
Tento sempre aprender. Tudo que me acontece tem um propósito e preciso que faça sentido e deixe um ensinamento, uma evolução.
Acho que não nasci formatada e se nasci já me desprogramei.

Comentários

  1. Como não convivo contigo o quanto desejava aceito como preciosa a tua autoanálise, é mesmo assim que te premuno e gosto muito do teu eu, se fosses minha filha sentir-me-ia muito realizada, oxalá nunca percas essa tua identidade porque és uma pequena grande Mulher. Beijos afectuosos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Palavras lindas que me chegam ao coração.
      Grata pela tua amizade e carinho.
      És um doce de amiga!

      Eliminar
  2. Por isso tudo, gosto tanto de ti.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

SER Reikiano

Reiki é um caminho que deve ser seguido em linha recta, numa constante estrada sem obstáculos, mas dificilmente isso se consegue porque todos vivemos algumas situações que abalam o auto-controle.
O Reikiano também as vive mas a sua aprendizagem facilita o retomar rapidamente do caminho escolhido.
Uma das primeiras aprendizagens são "os cinco princípios" que devem reger a nossa vida diária. Não interessa citá-los, escreve-los, publicá-los...interessa interiorizá-los e praticar tudo o que eles ensinam.

Sentimentos como a raiva, o cinismo, o desprezo, a falsidade, a desonestidade ou até a mentira não devem ser alimentados por um reikiano.
Não devem ser alimentados por ninguém porque não trazem alegria ou felicidade e acabam por promover doenças físicas, mas um reikiano deve ser humilde, grato, sincero e honesto para consigo próprio e para com os outros.

Não sou uma pessoa perfeita, longe disso, cometo os meus erros e nem sempre ajo como deveria mas tenho a consciência plena …

A lei da gravidade e a falta de juízo

Pois é!
Levamos a vida a repetir às crianças "cuidado para não caíres", "olha que ainda cais daí" e mais umas quantas expressões idêntica para as proteger dos perigos, mas quando aos 62 anos resolvo voltar a ser uma daquelas crianças endiabradas a coisa corre mal.

A um metro do chão fazer equilíbrio sobre um pau redondo e empoeirado não resulta.
A lei da gravidade tem muita força e o karma é tramado.
Um enorme trambolhão, uma mão em fanicos, costelas e joelhos doridos...

Aprendi alguma coisa? Acho que não porque no próximo desafio já me esqueci deste :)

Observações e constatações

Gosto de observar o comportamento das pessoas, não para criticar, apenas observar!
E que tenho reparado eu?
Reparo nos falsos moralismos, que se andam a espalhar como se de uma epidemia se tratasse.
Onde pára a amizade sincera e o desprendimento? Onde pára a confiança e a gratidão?

Lembro-me que os meus avós, os meus pais, os meus tios, tinham um grupo de amigos de há muitos anos e com quem se perdiam em conversas simples, anedotas, jogos ou simples piadas.

Como era bom para mim, para os meus primos e para toda uma geração de adolescentes estarmos sentados à mesa com os mais velhos, confraternizando. Um simples petisco preparado de improviso por todos e logo começavam as anedotas, os cantares alentejanos (sou alentejana e de ascendência alentejana), os risos e toda a alegria de um grupo de pessoas ao redor de uma mesa, onde o companheirismo e amizade eram reis.

E eu que pensava que muita coisa continuava assim...

Mas parece que não, que agora convivemos com pessoas que achamos serem n…