Avançar para o conteúdo principal

Observações e constatações

Gosto de observar o comportamento das pessoas, não para criticar, apenas observar!
E que tenho reparado eu?
Reparo nos falsos moralismos, que se andam a espalhar como se de uma epidemia se tratasse.
Onde pára a amizade sincera e o desprendimento? Onde pára a confiança e a gratidão?

Lembro-me que os meus avós, os meus pais, os meus tios, tinham um grupo de amigos de há muitos anos e com quem se perdiam em conversas simples, anedotas, jogos ou simples piadas.

Como era bom para mim, para os meus primos e para toda uma geração de adolescentes estarmos sentados à mesa com os mais velhos, confraternizando. Um simples petisco preparado de improviso por todos e logo começavam as anedotas, os cantares alentejanos (sou alentejana e de ascendência alentejana), os risos e toda a alegria de um grupo de pessoas ao redor de uma mesa, onde o companheirismo e amizade eram reis.

E eu que pensava que muita coisa continuava assim...

Mas parece que não, que agora convivemos com pessoas que achamos serem nossas amiga, que pensamos que nos respeitam e confiam em nós e depois de um tempo, pouco, percebemos que estamos tão, mas tão enganados...

Evocar santos e divindades, bater com a mão no peito, evocar as graças de Deus constantemente e não praticar as suas leis? ex: dez mandamentos, cinco princípios...

Mas quem me manda a mim andar com os cinco sentidos sempre em alerta? Era mais feliz se não observasse tanto.

Observações e constatações minhas, claro !!!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Sobre a Culsete...

Ainda não sabia ler já folheava livros e inventava histórias que acreditava estarem lá escritas.
Andei sempre de livros atrás e ainda hoje troco as novas tecnologias por livros a sério, de papel e que se agarram com as duas mãos.
Talvez por isso mesmo é uma das minhas prendas favoritas para receber e oferecer.

Ora então que mais podia desejar tendo a Culsete mesmo aqui ao lado?
Era a solução perfeita para as minhas prendas de Natal.
Desde sempre que me lembro de ir escolher livros consoante os gostos dos adultos e as necessidades das crianças.

Há um tempo reli várias vezes a noticia do futuro desaparecimento daquele estabelecimento...difícil de acreditar!

"Era agora que eu precisava do euromilhões" referi com toda a sinceridade.
Não me conformava com a ideia de que a nossa cidade fosse perder aquele pedaço de história e cultura.

E a verdade é que depois do susto veio a boa notícia: a Culsete afinal vai continuar.
Então e se fossemos todos comprar prendinhas "culturais&…

Apenas eu

Acho que nasci rebelde, dizem que nasci rebelde e eu acredito.
Acredito porque gosto de pensar e decidir por mim, nasci com uma cabeça que até tem um cérebro lá dentro que deve servir para alguma coisa.
Ideias ou hábitos pré-concebidos não me convencem só porque sim. Tudo tem de ter uma razão.
Nunca vou por um caminho só porque alguém me leva. Vou por um caminho que escolho e quando o faço em boa companhia é excelente.
Acato as obrigações, as ordens, as leis, mas não êxito em as contestar se assim o entender.
Não sou de me lamentar. Os lamentos não apagam os contratempos. Sigo o meu caminho, salto os meus obstáculos, contorno as minhas dificuldades.
Vivo a minha vida da única maneira que sei, com verdade, um sorriso e um coração.
Tudo que faz parte dela faz parte do meu percurso. Percurso que tenho seguido em boa companhia.
Na companhia de uma família fantástica e de amigos sinceros. Se não forem sinceros não são amigos, são pessoas que nos ensinam muita coisa.
Sou grata por todos el…

A importância da verdade

(foto da net)
É meu hábito tratar as crianças com verdade.
Eduquei assim os meus filhos, aconselho assim os meus netos e tento passar este valor a todas as crianças que passam pela minha vida.
A verdade é essencial na paz interior, no respeito por nós e pelos outros.
A verdade é a mais pura da nossa essência.
Acredito que se as crianças forem crescendo em ambiente de verdade e transparência serão adultos sinceros, puros, sem maldade.
Acredito que só se está em paz dentro da verdade.

Eu acredito !