Avançar para o conteúdo principal

Serenidade

Quando atingimos uma fase de grande auto afirmação, estamos fortes e cientes do que queremos para nós e não nos importamos com os comportamentos externos à família, sentimos uma paz enorme.
Ansiedade, medo e insegurança são emoções que nos fazem mal.
Devemos assumir-nos como somos, com todos os defeitos e virtudes que todos temos, mas nunca prejudicando ninguém.
Se estivermos bem connosco, estamos com os outros, estamos bem com o mundo.
E isso é tão bom.
Porque abordo este tema hoje? Porque já passei pelo primeiro estado e agora usufruo do segundo e não há comparação possível entre eles, não há comparação no que sentimos e no que somos.

Não há formula para conseguir esta tranquilidade, mas se se aceitarem como são, forem compreensivos convosco e com os outros e se afastarem (sem conflitos) do que sentem que vos faz mal iniciam um caminho que vos trará serenidade diária
Aceitem-se como são, aceitem os outros como são e retirem-se do que não é importante.
Tentem!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Apenas eu

Acho que nasci rebelde, dizem que nasci rebelde e eu acredito.
Acredito porque gosto de pensar e decidir por mim, nasci com uma cabeça que até tem um cérebro lá dentro que deve servir para alguma coisa.
Ideias ou hábitos pré-concebidos não me convencem só porque sim. Tudo tem de ter uma razão.
Nunca vou por um caminho só porque alguém me leva. Vou por um caminho que escolho e quando o faço em boa companhia é excelente.
Acato as obrigações, as ordens, as leis, mas não êxito em as contestar se assim o entender.
Não sou de me lamentar. Os lamentos não apagam os contratempos. Sigo o meu caminho, salto os meus obstáculos, contorno as minhas dificuldades.
Vivo a minha vida da única maneira que sei, com verdade, um sorriso e um coração.
Tudo que faz parte dela faz parte do meu percurso. Percurso que tenho seguido em boa companhia.
Na companhia de uma família fantástica e de amigos sinceros. Se não forem sinceros não são amigos, são pessoas que nos ensinam muita coisa.
Sou grata por todos el…

A importância da verdade

(foto da net)
É meu hábito tratar as crianças com verdade.
Eduquei assim os meus filhos, aconselho assim os meus netos e tento passar este valor a todas as crianças que passam pela minha vida.
A verdade é essencial na paz interior, no respeito por nós e pelos outros.
A verdade é a mais pura da nossa essência.
Acredito que se as crianças forem crescendo em ambiente de verdade e transparência serão adultos sinceros, puros, sem maldade.
Acredito que só se está em paz dentro da verdade.

Eu acredito !

Observações e constatações

Gosto de observar o comportamento das pessoas, não para criticar, apenas observar!
E que tenho reparado eu?
Reparo nos falsos moralismos, que se andam a espalhar como se de uma epidemia se tratasse.
Onde pára a amizade sincera e o desprendimento? Onde pára a confiança e a gratidão?

Lembro-me que os meus avós, os meus pais, os meus tios, tinham um grupo de amigos de há muitos anos e com quem se perdiam em conversas simples, anedotas, jogos ou simples piadas.

Como era bom para mim, para os meus primos e para toda uma geração de adolescentes estarmos sentados à mesa com os mais velhos, confraternizando. Um simples petisco preparado de improviso por todos e logo começavam as anedotas, os cantares alentejanos (sou alentejana e de ascendência alentejana), os risos e toda a alegria de um grupo de pessoas ao redor de uma mesa, onde o companheirismo e amizade eram reis.

E eu que pensava que muita coisa continuava assim...

Mas parece que não, que agora convivemos com pessoas que achamos serem n…